Marca Neve, da multinacional Kimberly-Clark, selecionou oito estudantes e, juntos, desenvolveram uma opção de banheiro para áreas rurais e carentes de saneamento básico

Aproximadamente metade de população brasileira não conta com serviços de saneamento básico no Brasil. Por volta de quatro milhões de pessoas não possuem banheiros em suas casas no País. Visando ajudar neste problema, Neve, a marca brasileira líder em papel higiênico, reuniu-se com jovens universitários para criar uma solução de banheiro independente da infraestrutura de saneamento básico e ideal para regiões rurais. A iniciativa faz parte do projeto global da Kimberly-Clark, chamado Banheiros Mudam Vidas, e tem como objetivo levar mais higiene, cuidados e momentos de intimidade para as pessoas.

Essa história começou entre os meses de abril e maio de 2016, quando Neve lançou um desafio para selecionar sete jovens universitários de todo o Brasil para formar um time capaz de ajudar a reinventar o banheiro e desenvolver uma solução inovadora adaptada à realidade do país. O foco do trabalho foi pensado na comunidade de Milagres, município maranhense com um dos menores índices de banheiros do Brasil. Para trazer a realidade de Milagres do Maranhão para o projeto, um jovem da comunidade também foi convidado a fazer parte do grupo, que se reuniu durante um mês em São Paulo (SP).

Para desenvolvimento do projeto, a solução foi adaptar um já conhecido modelo de sanitário, o bason (banheiro seco compostável). A solução segue cinco premissas: uso de recursos locais (inspirado na permacultura para garantir empoderamento e sustentabilidade a longo prazo), independência de água (considerando a região rural e seca), ser autossustentável (que permita às comunidades apropriar-se da solução e replica-la), baixo custo (bem abaixo do que é geralmente destinado para a construção de fossas) e correção ambiental (não poluir solo e água). O banheiro conta com uma estrutura completa: chuveiro, torneira, pia, telhado, iluminação, porta e janela. O diferencial dessa solução é que ela não utiliza sistema de esgoto e descarga com água, justamente para que seja autossustentável em regiões onde não há estrutura de abastecimento de água potável ou esgotamento sanitário. Outro ponto é que com a incidência de sol no compartimento que armazena os dejetos, toda a matéria orgânica é transformada em adubo natural (igual a terra fresca), após seis meses.

Em fevereiro deste ano, como piloto do projeto, foram concluídas as construções dos primeiros banheiros na cidade de Milagres, no povoado de Patos, onde vivem 13 famílias. “Além de mais privacidade, os banheiros estão ajudando as pessoas a adquirirem novos hábitos de higiene pessoal e informação sobre os efeitos positivos dessas práticas”, comenta Fernanda Hermanny, diretora de categoria de Family Care da Kimberly-Clark Brasil. “A conquista do banheiro se mostrou mais do que uma necessidade, mas a realização de um sonho. As famílias passaram a decorar seus banheiros e estão inspirando toda a cidade a também conquistar o seu. E em breve, farão uso do adubo em formação”, finaliza a executiva.

A realidade sobre o drama da falta de banheiros no País é um assunto pouco discutido. Ana Claudia de Jesus Carvalho, moradora de Milagres, conta um pouco da realidade de quem vive nessa situação. “Nós precisávamos ir para o mato quando tínhamos vontade, inclusive quando estava chovendo. Era muito difícil.” Ana Claudia ganhou o seu primeiro banheiro a partir da iniciativa de Neve.

Cerca de quatro milhões de pessoas ainda não tem acesso a banheiro no Brasil. Essa é uma realidade que abrange pessoas de todas as faixas etárias, de crianças a pessoas de idade que nunca tiveram seu próprio banheiro ou mesmo nunca utilizaram um. “Mais do que um banheiro, essa solução entrega algo mais humano”, conta Francisco Chagas, morador de Milagres e um dos idealizadores do projeto, “estou me sentindo realizado em ver o sorriso no rosto da população de poder aproveitar seu primeiro banheiro da vida”.

Serviço:
Kimberly-Clark
0800 709-5599
http://www.kimberly-clark.com.br

 

topo