Grupo da USP foi anunciado o grande vencedor da 7ª edição do Schindler Global Award (SGA), uma das competições pré-profissionais mais importantes do mundo que estimula soluções de urbanismo. Representantes da Suíça e da China ficaram com o 2º e 3º lugares
Schindler

Estudantes premiados no 7º Schindler Global Award reunidos com o Presidente para as Américas do Grupo Schindler, Andre Inserr

Um grupo de três estudantes da Faculdade de Arquitetura da Universidade de São Paulo (FAUUSP) conquistou o 1º lugar da sétima edição do Schindler Global Award (SGA), premiação promovida pelo Grupo Schindler. Os vencedores foram anunciados em cerimônia ocorrida na terça-feira (25/04), no Monte Líbano, em São Paulo.

O prêmio incentivou estudantes de todo o mundo a pensar em soluções de arquitetura e design urbano para a área do Ceagesp e reconheceu os doze grupos que melhor atenderam ao desafio de apresentar soluções urbanísticas, considerando o potencial da nova região e a integração ao contexto local, fortalecendo a cidade e a área como um todo. A região escolhida como objeto do prêmio possui projetos em andamento para transferência do complexo da Vila Leopoldina para outra região, o que deixaria 700 mil m² livre para receber propostas de desenvolvimento urbano.. Os campeões desta edição receberam prêmios que superam US$ 100 mil. Além dos vencedores, outro grupo de brasileiros se destacou e recebeu menção honrosa, ao lado de estudantes da Suíça (segunda colocação), China (terceira posição), Estados Unidos, Eslovênia e Liechtenstein.

“É a primeira vez que um país das Américas sedia o Schindler Global Award. Estamos muito orgulhosos por termos estudantes representando o país de forma tão positiva. Todos os participantes estão de parabéns. O objetivo principal do prêmio, de promover excelentes soluções de urbanismo, foi alcançado por todos”, declara Andre Inserra, Presidente para as Américas do Grupo Schindler e Presidente da Atlas Schindler.

Os trabalhos foram julgados por profissionais ligados à área de arquitetura e urbanismo e de renome nacional e internacional, como os brasileiros Ciro Biderman, Adriana Levisky e Carlos Leite, e os internacionais Hubert Klumpner e Paola Viganò, que estiveram reunidos no Brasil no início do ano para avaliar os projetos e eleger os vencedores. No total, foram 10 meses de competição, com análise de mais de 150 trabalhos que representaram 46 países. Os 12 projetos vencedores compõem um livro que descreve as sugestões de mudança para a região.

Vencedores da 7ª edição do Schindler Global Award:

1º lugar: Brasil – FAUUSP – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo
Estudantes: Eduardo Ganana, Luiz Boschi Grecco e Jessica Luchesi. Orientação: Prof. Dr. Fábio Mariz Gonçalve

2º lugar: Suíça – ETH Zurich
Estudantes: Niti Malik e Alisa Labrenz. Orientação: Prof. Dr. Marc Angélil, Guillaume Dopchie, Guillermo Dürig, Marcin Ganczarski, Ciro Miguel

3º lugar: China – Fujian University of Technology (FJUT)
Estudantes: Jianfeng Lin, Luqing Liu, Yangwenbo Xue e Fenghuang Zheng. Orientação: Dr. Chia-Peng Chou, Prof. Zhihong Yu, Prof. Zheng Wu, Wei Xu
1ª Menção Honrosa: Brasil – Fundação Armando Alvares Pentea
Estudantes: Jorge Saliba Abdalla, Carol Almeida, Fábio Alberto Alzate Martinez, Renata Arcelli Doro, Fernanda Barreiros Rosa, Giovanna Lis Bellinello, Lívia Biaso Bacha Martins, Andrea Calderon Lama, Tales Eduardo Ferretti Pacheco, Isabella Ganme, Maria Teresa Muniz da Silva, Carolina Pessoa de Souza Bitelli e Eric Eduardo Ribeiro Senedese. Orientação: Prof. Sérgio Sandler

2ª Menção Honrosa: Estados Unidos – New Jersey Institute of Technolo
Estudantes: Spoorthi Bhatta, Guan Yi Chuah, Thomas Dores, Alexis Luna, Brian Mourato, Brandon Muir, Chit Yee Ng, Pier Paolo Pala, Kanisha Patel, Elliott Perez, Vinh Phung, Christopher Santos, Roman Schorniy, Liliana Torres, Chau Tran. Orientação: Prof. Dr. Jesse LeCavalier.

3ª Menção Honrosa: Eslovênia – : University of Ljubljana, Biotechnical Faculty, Department of Landscape Architecture
Estudantes: Urška Eler, Dominik Jakša, Nina Jakša, Tjaša Kimovec. Orientação: Prof. Darja Matjašec, Nejc Florjanc, Tomaž Pipan.
Subsídios de viagem para acompanhar a premiação:
Grupo 1: Liechtenstein – University of Liechtenstei
Estudantes: Beatriz Sippach Vasconcellos. Orientação: Prof. Peter Staub, Georgia Papathanasiou.

Grupo 2: Liechtenstein – University of Liechtenstei
Estudantes: Sultan Al Zadjali, Sheung Chi Ho, Oleksandra Telenkova. Orientação: Prof. Peter Staub, Georgia Papathanasiou

Grupo 3: Suíça – ETH Zuric
Estudantes: Magnus Lidman, Silvio Rutishauser. Orientação: Prof. Dr. Marc Ang.lil, Marcin Ganczarski, Guillaume Dopchie, Guillermo Dürig, Ciro Miguel.

Grupo 4: Estados Unidos – University of Virgini
Estudantes: Fu-Hou Zhang. Orientação: Prof. Robin Dripps

Grupo 5: Eslovênia – University of Ljubljana, Biotechnical Faculty, Department of Landscape Architectuz
Estudantes: Tadeja Ažman, Lara Bolković, Nejc Greben. Orientação: Prof. Darja Matjašec, Nejc Florjanc, Tomaž Pipa

Grupo 6: Eslovênia – University of Ljubljana, Biotechnical Faculty, Department of Landscape Architecture Estudantes:Tine Horvat, Barbara Kostanjšek, Petra Pečan. Orientação: Prof. Darja Matjašec, Nejc Florjanc, Tomaž Pipan

Sobre o Schindler Global Award – Uma das competições pré-profissionais mais importantes do mundo, o SGA é voltado a alunos do último ano de graduação ou de mestrado dos cursos de arquitetura, paisagismo, design e planejamento urbano.

O prêmio propõe o desafio de usar a mobilidade como um catalisador para a mudança, incluindo concepção de espaços públicos e infraestrutura, com ênfase à integração da população aos elementos urbanos e uso dos espaços.

A premiação é realizada a cada dois anos pelo Grupo Schindler, líder global em elevadores, escadas rolantes e serviços relacionados, em colaboração com o Instituto de design urbano da ETH Zurique, liderado pelo arquiteto holandês Kees Christiaanse, arquiteto holandês conhecido por seu trabalho em planejamento urbano. O Schindler Award 2004 foi realizado em Bruxelas, na Bélgica, e seguiu com edições de sucesso nas cidades de Paris, na França (2006); Viena, na Áustria (2008); Berlim, na Alemanha (2010); Berna, na Suíça (2012) e Shenzhen, na China (2015).

Segundo o professor Kees Christiaanse, o Brasil é um local interessante para realização do Schindler Global Award porque tem uma posição intermediária entre todos os tipos de condições globais. “Há um grande potencial para futuras e significativas estratégias urbanísticas no país, tanto pelo lado do patrimônio e das tradições quanto pelos enormes problemas existentes”, explica.

Serviço:
Atlas Schindler
0800 055 1918
http://www.schindler.com