Em temperaturas mais baixas, janela de PVC apresenta maior conforto térmico, segundo estudo da Fundação Espaço ECO (FEE), que comparou o PVC com a janela de alumínio e constatou a melhor ecoeficiência

pvcUma Análise de Ecoeficiência realizada pela Fundação Espaço ECO para o Instituto do PVC comprovou que a janela de PVC branca tem eficiência energética duas vezes superior à da janela de alumínio, principalmente relacionada ao conforto térmico gerado pelas alternativas analisadas. Ou seja, devido a seu isolamento térmico, em temperaturas mais baixas, como no inverno ou em regiões mais frias, a janela de PVC faz com que a troca de calor entre ambientes interno e externo de uma edificação seja menor.

A importância destes dados vem da informação constatada pelo estudo que, entre as categorias ambientais – foram 11 analisadas, o consumo de energia ao longo do ciclo de vida das janelas é a categoria de maior relevância para esta cadeia produtiva, 31%. No processo de produção, a janela de PVC apresenta consumo de energia 2,3 vezes menor em relação à produção da janela de alumínio. Na montagem, foi observada vantagem da alternativa em PVC por não precisar de pintura, visto que é naturalmente branca, ao contrário da de alumínio que precisa de pintura eletrostática, processo que consome muita energia elétrica.

“Com esta pesquisa, podemos abrir um canal de comunicação com a sociedade, apresentando as reais características dos produtos. É importante que o consumidor tenha, cada vez mais, informações técnico-científicas para sua decisão de compra”, afirma Miguel Bahiense, presidente do Instituto do PVC.

Na avaliação do impacto econômico, observou-se o preço de mercado mais elevado das janelas de PVC (em média R$ 407 mais cara que a janela de alumínio). Entretanto, essa variação inicial se dilui durante o tempo de uso do produto, devido à melhor eficiência da janela de PVC. Em outras palavras, o consumo energético seja para refrigerar ou aquecer um ambiente com o uso de aparelhos de ar-condicionado, é reduzido, ao longo do tempo, com o uso de janelas de PVC. Na simulação de 40 anos do estudo, a diferença inicial de preço de mercado diminui para R$ 142,13.

“O que os consumidores precisam levar em conta ao comprar um produto não é apenas seu custo, mas os benefícios que ele também irá gerar ao longo do período que pretende utilizar. Chamamos isso de Pensamento do Ciclo de Vida. À medida que a população consumir levando em conta esta lógica, tomará decisões muito mais assertivas”, afirma Juliana Silva, gerente de Socioecoeficiência da Fundação Espaço ECO(FEE).

A metodologia utilizada no estudo foi a Análise de Ecoeficiência, ferramenta de aplicação exclusiva da FEE na América Latina, que compara processos e produtos baseando-se na Avaliação de Ciclo de Vida (NBR ISO 14040). A Análise considera aspectos ambientais: uso da terra, consumo de energia, recursos naturais, consumo de água e emissões, agregando ainda potencial de toxicidade humana e riscos.

Também são avaliados, com a mesma importância, indicadores econômicos como preço, investimentos, manutenção de equipamentos, entre outros.

Na Análise de Ecoeficiência das janelas, foram contempladas as fases de produção, montagem, instalação, uso (com ar condicionado), manutenção e destinação final de janelas brancas de PVC e alumínio, considerando variações térmicas diferentes, em cidades como São Paulo (SP), Curitiba (PR) e Natal (RN). A análise passou por uma revisão externa realizada pelo TÜV Rheinland – instituto independente para inspeção técnica e certificação. A janela de PVC apresentou melhor desempenho ambiental em 10 das 11 categorias analisadas em relação à janela de alumínio.

Em todo o mundo, já são 630 estudos concluídos com estas metodologias. Na América Latina, região de responsabilidade da FEE, desde 2005 foram realizados 98 estudos para empresas dos segmentos agronegócio, alimentício, construção, cosméticos, celulose e papel, petroquímico, químico, têxtil, tintas, entre outros.

Serviço:
Instituto PVC |  www.institutodopvc.org
Fundação Espaço ECO |  www.espacoeco.org.br